.Julho 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

.posts recentes

. Finalmente as férias e um...

. Vida e história de Jean-J...

. James Watt, por João Paul...

. A Conservação da Massa e ...

. René Descartes, por Ana P...

. A Passarola de Bartolomeu...

. Os Lolardos, por Rebeca B...

. A Revolução Francesa, por...

. As Guerras Religiosas do ...

. A Reforma Protestante e o...

.arquivos

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.links

Um espaço para a História da Escola Secundária Aurélia de Sousa - Porto

.favorito

. E o homem com livros cont...

Domingo, 28 de Maio de 2006

Lisboa de Quinhentos, por Diana Alves, 10ºG

Lisboa transformou-se nos primeiros anos de quinhentos, na maior metrópole comercial do mundo. Tinha comunicação entre a Europa, a África, a Ásia, e a América. O seu porto era o local de concentração de navios com tripulações de armadas, soldados, missionários, mercadores e aventureiros.

Esta metrópole abarrotava de produtos únicos o que atraía outros povos, mercadores principalmente, que despovoavam os seus reinos para se fixarem em Portugal; vinham para Lisboa em busca de emprego pois aqui devido a sua grande ligação com o comércio, o emprego era fácil e lucrativo para os comerciantes. Em suma a agricultura e a indústria artesanal foram postas de parte para se aplicarem na construção naval o que tornava o comércio mais forte.

Mas a riqueza desta não consistia só em mercadorias estrangeiras, a casa da índia guardava também muitos informações geográficas astronómicas e cartográficas.

A partir do século XVI passou a ser uma metrópole politica e nela se instala a alta administração do ultra mar.

O dinamismo demográfico de Lisboa sofreu uma grande evolução devido a reconstrução de estradas e novas avenidas por D. Manuel o que fez com que a sua população aumentasse para o dobro. Lisboa assim como Sevilha era uma cidade cosmo política porque acolhia variadas gentes devido a sua riqueza. Era nesta época uma das cabeças do império colonial da Europa moderna.

Apesar da sua riqueza é também de destacar que existia tal como em Sevilha uma grande mendicidade devido aos assaltos, roubos e à abstenção ao trabalho.

publicado por António Luís Catarino às 17:22
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.favorito

. E o homem com livros cont...

.links

.subscrever feeds