.Julho 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

.posts recentes

. Finalmente as férias e um...

. Vida e história de Jean-J...

. James Watt, por João Paul...

. A Conservação da Massa e ...

. René Descartes, por Ana P...

. A Passarola de Bartolomeu...

. Os Lolardos, por Rebeca B...

. A Revolução Francesa, por...

. As Guerras Religiosas do ...

. A Reforma Protestante e o...

.arquivos

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.links

Um espaço para a História da Escola Secundária Aurélia de Sousa - Porto

.favorito

. E o homem com livros cont...

Domingo, 18 de Junho de 2006

O Concílio de Trento, de Joana Faria, 10ºG

A Igreja Romana recuperou forças a partir de 1540, lutando contra a expansão das Igrejas reformadas e tentando conquistar novamente os seus fiéis. Esta resposta da Igreja assumiu-se como uma Contra-Reforma porque afectou um combate doutrinário ideológico e repressivo ao protestantismo e como uma Reforma católica porque se renovou o catolicismo. O propósito do Concílio de Trento era fazer frente à Reforma Protestante, reafirmando as doutrinas tradicionais e arrumando a própria casa.

O Concílio de Trento foi convocado pelo Papa Paulo III, a  fim de restringir a união da Igreja e reprimir os abusos, isto em 1546, na cidade de Trento, no Tirol italiano. Interrompido várias vezes, o concílio durou 18 anos e o seu trabalho terminou somente em 1562, quando suas decisões foram solenemente promulgadas em sessão pública.

O Concílio de Trento condenou a doutrina protestante da justificação pela fé, confirmando-se o papel das obras humanas na salvação, proibiu a intervenção dos príncipes nos negócios eclesiásticos e a acumulação de benefícios, definiu-se o pecado original e declarou, como texto bíblico autêntico, a tradução de São Jerónimo, denominada "Vulgata", colocou a tradição e os dogmas papais no mesmo pé de igualdade com a Bíblia, estabeleceu a supremacia dos Papas, recomendou a criação de escolas para a preparação dos que quisessem ingressarem no clero, denominadas seminários, manteve o latim como língua litúrgica e os sete sacramentos: Baptismo, Confissão, Eucaristia (consagração do pão e do vinho), Crisma, Matrimónio (união entre um homem e uma mulher), Penitência e Extrema-Unção.

Ao reafirmar o dogma e o culto tradicional, o Concílio de Trento permitiu uma maior capacidade doutrinária para se opor ao protestantismo.

Os primeiros países que aceitaram, incondicionalmente, o concílio foram Portugal, Espanha, Polónia e os Estados italianos. A França, agitada pelas lutas entre católicos e protestantes, demorou mais de meio século para aceitar oficialmente as normas e dogmas estatuídos pelo concílio, sendo mesmo o último país europeu a fazê-lo.

BIBLIOGRAFIA:

§         Site  www.paginaoriente.com

§         Site  www.benzisobrenomes.com

§         Livro “O Tempo da História”, 10ºano, 3ªparte

publicado por António Luís Catarino às 00:00
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De António Luís Catarino a 18 de Junho de 2006 às 00:09
Olá Joana. Parabéns pelo teu trabalho. Está bom, sintético e tem ligações à Net, onde as pessoas podem aprofundar mais o tema. Muito bem.

Comentar post

.favorito

. E o homem com livros cont...

.links

.subscrever feeds