.Julho 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

.posts recentes

. Finalmente as férias e um...

. Vida e história de Jean-J...

. James Watt, por João Paul...

. A Conservação da Massa e ...

. René Descartes, por Ana P...

. A Passarola de Bartolomeu...

. Os Lolardos, por Rebeca B...

. A Revolução Francesa, por...

. As Guerras Religiosas do ...

. A Reforma Protestante e o...

.arquivos

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.links

Um espaço para a História da Escola Secundária Aurélia de Sousa - Porto

.favorito

. E o homem com livros cont...

Quarta-feira, 7 de Junho de 2006

Lavoisier, por Maria João Gonçalves, 8ºC

Antoine-Laurent de Lavoisier, 26 de Agosto de 1743, Paris – 8 de Maio de 1794, químico Francês nasceu em Paris no seio de uma família abastada. Dedicou-se ao estudo da Matemática, Astronomia, Química e Física. Considerado o criador da química moderna por seus estudos sobre oxidação dos corpos, o fenómeno da respiração animal, análises do ar, conservação da massa e calorimetria. Os trabalhos de Lavoisier, ao final do século XVIII, determinaram o início da Química moderna. Estabeleceu de um modo definitivo alguns conceitos básicos da Química, tais como substância pura, elemento químico e equação química. Lavoisier introduziu o uso sistemático da balança nas experiências químicas (aspecto quantitativo dos fenómenos químicos). A principal contribuição científica de Lavoisier foi a Lei da Conservação da Massa.

Os activistas da revolução Francesa viram em Lavoisier o herdeiro de uma grande fortuna e não um grande cientista sendo, por isso, preso e julgado por um tribunal revolucionário que o condenou à morte, tendo sido guilhotinado.

É atribuído a Lavoisier a autoria de um texto intitulado: "Sobre a maneira de ensinar Química", de onde podemos retirar alguns trechos, a saber:

"Quando comecei a fazer, pela primeira vez, um curso de Química, fiquei surpreso ao ver quanta obscuridade cercava a abordagem desta ciência, muito embora o professor que eu escolhera passasse por ser o mais claro, o mais acessível aos principiantes, e ele tomasse infinitos cuidados para se fazer entender."

"O professor não foi mais feliz nas aulas que nos deu em seguida sobre elementos, sobre a noção de fogo, sobre o flogisto. Ele falava a homens feitos, ao invés de falar a jovens. Ele confundia perpetuamente o que nós sabíamos com aquilo que ainda não sabíamos."

".....aprender é juntar novos conhecimentos aos que já temos, como aprender é - para o professor - falar dos conhecimentos adquiridos para chegar a outros ainda não adquiridos, a primeira coisa é definir aquilo que sabe o aluno....."

publicado por António Luís Catarino às 10:41
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De António Luís Catarino a 7 de Junho de 2006 às 10:50
Maria João: gosto muito dos teus trabalhos. Simples, com o tamanho ideal para um rápida busca e sério. Além disso está muito bem adaptado a este meio de comunicação que é a net. Muito bem. Mas, o que gostei particularmente é o facto de o editar, hoje, dia do teste de Ciências Físico-Químicas (espero que dê sorte) e também pelas pequenas frases que Lavoisier disse e que eu concordo plenamente: «falar dos conhecimentos adquiridos para chegar a outros ainda não adquiridos, a primeira coisa (que o professor tem de fazer) é definir aquilo que sabe o aluno». Grande verdade esta! Aqui vai um sapo para ti:

Comentar post

.favorito

. E o homem com livros cont...

.links

.subscrever feeds