.Julho 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

.posts recentes

. Finalmente as férias e um...

. Vida e história de Jean-J...

. James Watt, por João Paul...

. A Conservação da Massa e ...

. René Descartes, por Ana P...

. A Passarola de Bartolomeu...

. Os Lolardos, por Rebeca B...

. A Revolução Francesa, por...

. As Guerras Religiosas do ...

. A Reforma Protestante e o...

.arquivos

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

.links

Um espaço para a História da Escola Secundária Aurélia de Sousa - Porto

.favorito

. E o homem com livros cont...

Domingo, 28 de Maio de 2006

Lisboa de Quinhentos, por Diana Alves, 10ºG

Lisboa transformou-se nos primeiros anos de quinhentos, na maior metrópole comercial do mundo. Tinha comunicação entre a Europa, a África, a Ásia, e a América. O seu porto era o local de concentração de navios com tripulações de armadas, soldados, missionários, mercadores e aventureiros.

Esta metrópole abarrotava de produtos únicos o que atraía outros povos, mercadores principalmente, que despovoavam os seus reinos para se fixarem em Portugal; vinham para Lisboa em busca de emprego pois aqui devido a sua grande ligação com o comércio, o emprego era fácil e lucrativo para os comerciantes. Em suma a agricultura e a indústria artesanal foram postas de parte para se aplicarem na construção naval o que tornava o comércio mais forte.

Mas a riqueza desta não consistia só em mercadorias estrangeiras, a casa da índia guardava também muitos informações geográficas astronómicas e cartográficas.

A partir do século XVI passou a ser uma metrópole politica e nela se instala a alta administração do ultra mar.

O dinamismo demográfico de Lisboa sofreu uma grande evolução devido a reconstrução de estradas e novas avenidas por D. Manuel o que fez com que a sua população aumentasse para o dobro. Lisboa assim como Sevilha era uma cidade cosmo política porque acolhia variadas gentes devido a sua riqueza. Era nesta época uma das cabeças do império colonial da Europa moderna.

Apesar da sua riqueza é também de destacar que existia tal como em Sevilha uma grande mendicidade devido aos assaltos, roubos e à abstenção ao trabalho.

publicado por António Luís Catarino às 17:22
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De António Luís Catarino a 28 de Maio de 2006 às 18:10
Olá Diana. Consegues sempre fazer artigos muito simples e que conseguem prender a atenção de quem lê. Aqui na net, a publicação de trabalhos obedece a uma regrazitas de ouro: o artigo não pode ser muito grande porque provoca distração ao leitor e produz desinteresse (é por isso que se diz, e muito bem, que nada substitui um livro). Mas também há truqes. Já viste o que a Fancisca fez no post de cima? Ora repara (e os aoutros alunos podem também fazê-lo): usa um artigo não muito grande, nem muito pequeno, ideal, portanto, para publicar aqui, mas faz ligações (com palavras a azul) para desenvolver outras questões ligadas. É uma forma legítima de utilização de blogs. Quem tiver interessado, aprofunda esse tema... quem não quiser ou já esteja bem preparado, passa adiante. Creio que só um alunos do 8º ano usou esse esquema de trabalho. E pronto, Diana, basta dizer-te para continuar assim que estás bem.

Comentar post

.favorito

. E o homem com livros cont...

.links

.subscrever feeds